segunda-feira, 1 de setembro de 2008

The Office

A epopéia de um escritório de advocacia (óptica de um estagiário)

Episódio 01- O cliente
O cliente é um fator essencial no funcionamento de qualquer negócio, seja ele do ramo de serviços comerciais ou intelectuais, este “ser” será responsável pelo sucesso ou total fracasso do empreendimento já que será o termômetro financeiro.

Como em todo empreendimento, dentro de um escritório de advocacia há tipos de clientes típicos que se fazem inesquecíveis, há os problemáticos, os paranóicos, os incompreendidos, os chatos,os carentes etc...

Sem citar nomes (ética!!!) começarei pelos problemáticos, estes seres têm uma facilidade impressionante para se meter em problemas, á cada semana estão no escritório, seja para informar sobre uma nova pendência judicial, seja para questionar o trabalho dos advogados, sempre estão insatisfeitos, não entendem que advogados não é deus (juiz pensa que é deus, desembargador tem certeza que é!).

Os paranóicos sempre acham que estão lhe perseguindo, se o juiz decidiu em contrário aos seus anseios é por que ele estava comprado, ou mesmo que o advogado estava comprado, acredito que andam pela rua sobressaltados com méd até da própria sombra.

Os incompreendidos são os que põem toda a culpa no “mundo” ou na “sociedade” estes nunca deram causa aos resultados que lhes são atribuídos (versão deles), quando muito aceitam meia culpa, quase sempre perdem a causa!.

Os chatos são em suma na maioria das vezes a soma de incompreedido+problemático+paranóicos.

Os carentes são pessoas que acham que advogado é psiquiatra (devemos aumentar a hora/consulta) sempre estão no escritório descarregando suas mazelas, (como se não tivéssemos as nossas), pedindo aconselhamento até sobre o que vestir!!!!

Existem outros tipos mil....

Obs: tem um muito engraçado, eu nunca entendo nada o que ele está falando, até hoje só sei o nome dele, ele fica conversando muitos minutos comigo, eu apenas sorrio e concordo com tudo que ele diz (por educação)....

Um comentário:

Absolutamente Porranenhuma! disse...

"Os chatos são em suma na maioria das vezes a soma de incompreedido+problemático+paranóicos."

Quando eu estagiava no juizado de pequenas causas na Justiça Federal, eu ouvia todas as mazelas do mundo... isso me tornou alguém melhor, mas alguém muito pior também. Dá pra entender?

ei melk, aprende, estagiário não é gente!