terça-feira, 5 de agosto de 2008

Eleições na terra sem lei (Pará, meu estado).


obs 01: as idéias aqui expostas são frutos da minha convivência próxima com politicos do interior deste estado(meus familiares e amigos) que fazem parte do meu circulo social e familiar.



O pleito em minha cidade natal (na qual vou em feriados e férias) possui certas peculiaridades que fogem ao entendimento de comum, e são dignos de um folhetim novelhesco da globo.


Inicialmente, quase todos os candidatos possuem certo nivel de interação social entre si, mesmo os que militam em partidos e coligações radicalmente contrárias, chegando ao ponto de ferozes inimigos politicos serem padrinhos no sentido "stricto" dos filhos uns dos outros, no entanto essa é apenas a face cômica de um "iceberg" constituido também de manobras politicas escusas e práticas eleitoreiras dignas do coronelismo.

A vida no extremo norte do Brasil ainda anda devagar em todos os sentidos, a tecnologia e as inovações são uma "realidade" distante aos que lutam para sobreviver, é desse lócus vivendi que a maioria dos politicos se aproveita para criar verdadeiros "currais" eleitorais, onde votos são trocados por uma rede, uma rede de pesca, ou um punhado de farinha de mandioca, e (pasmem) alguns chegam á distribuir "drogas" em troca de votos da massa marginal.

A consciência politica dos moradores principalmente das cidades pequenas encrustradas em meio à floresta é minima, estes acreditam que o bom politico é o que lhe dá "dinheiro" ou outro produto qualquer, e nada mais justo votar neste "bem feitor", não importando o que este irá fazer para melhorar sua vida nos próximos 4 anos (ou mais), isso provoca verdadeiras dinastias na politica, onde os cargos passam de pai para filho, ou mesmo um individuo tomando conta do poder em vários mandatos, isso torna a corrupção crônica e até aceitável, já que no decorrer dos anos estes individuos acabam por sofisticar os meios de ludibriar o "povo".

O individuo que tenta modificar essa realidade encontra inúmeras dificuldades, haja vista, que o assistenciliasmo eleitoral já tornou-se um "ser" simbiótico com a corrida eleitoral, e as "forças" ocultas que agem na politica acabam esmagando qualquer tentativa de mudar esse quadro, e estes seres que dominam a politica mantêm seu poder impedindo o acesso digno aos seus conterrâneos á saúde e educação, pois,não é de seu interesse que o povo adquira o conhecimento e tenha forças para lutar contra esses desaforos à democracia.

Assim vamos vivendo, vendo ações que não podemos questionar, vendo pessoas sem escrúpulos aproveitando-se da ignorância alheia, obervando inocentes morrerem de fome, sem escolas dignas, e sem saúde. Esse é o Brasil , esse é o Pará terra de direitos(slogan do Governo do Estado)!!!.



BY MELK

8 comentários:

Breno Lucano disse...

Mesmo nas metrópoles existe a cultura de que político bom é o que dá cesta básica e, talvez, algum espetáculo. Panem et circensis: a estória é a mesma de Roma.

Laís disse...

eeeeii Melk...
tu tah mt seriuu nesse teu texto...
Tu nem eh assim..
hahah...
+ msm assim faz sentido!!!
=*

ºDreº disse...

Tire uma dúvida minha por favor?
POr que o título do teu blog é:
Égua!!! q coisa!?
eheheh
Desculpe minha doidera
heheh
Beijos

Stanley Marques disse...

A terra dos direitos oprimidos. O governo deve ter se esquecido da última palavra. Mas o que de fato impressiona é imaginar que com o passar de décadas, ainda possamos nos deparar com situações como as descritas em sua postagem.

Convido você a conhecer o Antologia Racional
http://www.antologiaracional.com/
parceria?

Lucas Fernandes disse...

Você abordou bem o assunto. O assistencialismo é uma chaga que dilacera não só o Pará e sua cidade natal, mas todo o país, que sofre com a exclusão por meio da educação.

Assim, muitos se deixam levar pelo imediatismo e vendem seu voto, mais que direito, dever, por algo que necessitem. Lamentavelmente!

Bem, gostaria de te fazer um convite - visite quando puder o meu blog e de meus colegas, o Sem Fronteiras.

Abraço.
___________________________________
http;//semfronteirasnaweb.blogspot.com

Paulo Henrique disse...

é verdade aqui na minha cidade começo as promessas que nunca vai se comprir...

http://frango-de-bigode.blogspot.com/

ºDreº disse...

Meio esquisito mesmo
hehehehehe

wanessa disse...

Esse negócio de "assistencialismno eleitoral" nunca vai acabar enquanto o voto for obrigatório, pois muitas pessoas nem sabe qual o sentido verdadeiro das eleições e só votam porque sabem que tem que votar, por isso não exitam em vender seus votos por qualquer coisa, e ainda trazem o seguinte lema para justificar suas atitudes: "melhor eu votar nesse que me deu alguma coisa do que naquele que não me deu nada". É um absurdo, eu sei, mas devemos perdoa-los por sua ignorância! Eles não sabem o mal que estão contribuindo para o futuro de nosso País e de si próprio!!